sábado, 18 de maio de 2019

Southernmost, de Silas House - RESENHA #95


É meio complicado falar de livros transpostos de outros idiomas, sobretudo quando você desconfia de que a tradução não foi muito bem executada, para não falar dos erros de revisão...

Não tenho respaldo para julgar tradução de espécie alguma, uma vez que não domino nenhuma outra língua, mas não é preciso ser um especialista para perceber que esses livros que saem com exclusividade em clubes de assinatura – e que, portanto, obedecem prazos – são traduzidos apressadamente.

Precisava deixar esta impressão bem clara antes de passar à resenha de Southernmost (2018), do norte-americano Silas House, pois o livro tem uma escrita bastante peculiar, para a qual, imagino, a tradução não pôde fazer jus.

Com altos e baixos, o romance de Silas House persiste num estilo que chama atenção por sua apurada sensibilidade. A escrita tem um quê de infantil que, longe de ser demérito, evoca um narrador despretensioso e poético. Há uma quase obsessão do autor em pontuar sua obra com a força dos sentidos: visão e olfato se sobressaem, seja pela constante observação das cores e tons das águas, seja pelo perfume que quase podemos sentir dos jasmins-manga e buganvílias.

A premissa do livro é interessantíssima e digna de uma obra maior (em grandeza, não em extensão rs). Provavelmente o que dificultou o trabalho do autor foi a decisão de unir tantos temas complexos: religião, aceitação, paternidade, formação de caráter, dentre outros. Optou-se no livro por tornar todos estes temas secundários, descartando-se a necessidade de um ponto central. Mas esse manejo irregular e disperso já é uma marca bastante comum na literatura de hoje.

O ponto de partida é um pastor, Asher, em crise com sua fé. Diferente de sua esposa Lydia, ele já não consegue encarar a religião com o mesmo olhar seguro de anos atrás. Uma enchente avassaladora que deixa inúmeras famílias desabrigadas vem a ser o estopim da crise de Asher, sobretudo ao perceber a aversão com que sua esposa considera a possibilidade de hospedar um casal gay.

Quando então o mesmo casal começa a frequentar a igreja de Asher, muitos membros se revoltam e exigem do pastor que se posicione contra os dois homens. Após um enérgico sermão sobre tolerância, Asher é meio que convidado a renunciar ao seu posto. O choque de ideias o obriga a se separar de Lydia. A partir daí, os dois passam a brigar pela guardar de Justin, filho único do casal, um garotinho de nove anos.

Aqui devo tratar dos pontos que me pareceram problemáticos e pouco convincentes no livro, a começar pelo próprio Justin que é uma criança extraordinária. Logo nos primeiros capítulos ele diz: “Eu acredito em Deus, mas não acredito na igreja”. Mesmo sendo apresentado como uma criança excepcional e bastante precoce, pareceu-me exagerado o modo profundo como Justin questiona Deus e a religião.

Após ser expulso da congregação, Asher pronuncia um discurso acalorado pela emoção do momento. A cena é gravada e publicada na internet, viralizando instantaneamente. A repercussão alcançada pelo vídeo também me pareceu descomedida, levando-se em conta que a história se passa no tempo atual. Finalmente, o comportamento de Asher para recuperar a guarda do filho é o ponto mais questionável da trama. Por mais abalado que estivesse, considerando seu perfil e conhecimento de mundo, ele não agiria como agiu, pelo menos não em pleno uso de suas faculdades mentais rs.

Por outro lado, devo assinalar que, para minha surpresa, foi justamente esta escolha questionável que deu asas ao livro. É a partir daí que a história de fato acontece: quando, rumo ao sul, Asher e Justin seguem por caminhos que iluminarão toda a confusão que carregam. É uma experiência tocante e de grandes descobertas para os dois.

Por mais que Southernmost não tenha conseguido lidar perfeitamente com esse emaranhado de situações complexas, dá-nos ainda assim um texto agradável e cheio de vivências, além dessa ideia simpática de que Deus está em todas as coisas, inclusive em nós.

Avaliação: ★★★

Daniel Coutinho

*** 

SKOOB: http://www.skoob.com.br/usuario/1348798
Escreva para o blog: autordanielcoutinho@gmail.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário